O livro tem como público-alvo pregadores iniciantes e experientes, explicando como alcançar os ouvintes modernos, que buscam pregações mais relevantes para os dias de hoje. Aborda sobre os tipos de pregadores e pregações existentes, com o objetivo de auxiliar na difícil tarefa de elaborar e pregar uma mensagem bíblica, apresentando técnicas importantes para uma comunicação com eficiência e sugerindo assim passos importantes para a elaboração de pregações, pois precisamos fazer a nossa parte.
Porém, NUNCA podemos esquecer do principal: Precisamos ter INTIMIDADE COM O ESPÍRITO SANTO, pois somos apenas o meio entre o Senhor e as pessoas.

Segue abaixo pontos importantes para analisarmos:

O que faz uma pregação ser relevante para as pessoas?

  • Falar ungido pelo Espírito Santo.
  • Métodos atualizados.
  • Assuntos atuais, sem perder a essencial bíblica.
  • Palavra bíblica e contemporânea ao mesmo tempo.

E que tipos de pregações não são relevantes?

  • Pregação Anestésica: Todos dormem. Caracteriza-se pelo tom de voz monótono, arrastado, e pelo linguajar pesado, típico do começo do século, com expressões arcaicas e carregadas.
  • Pregação insipida: Sem gosto, sem ideias, sem novidade, sem nada a acrescentar. Muitas vezes é uma pregação sobre temas profundos, porém sem o sabor de uma aplicação contemporânea, ou sem o bom gosto de uma ilustração. É como se fosse comida sem sal.
  • Pregação óbvia: Que todo mundo já sabe, é como ficar dizendo que roubar é pecado ou quem não se salvar vai pro inferno.
  • Pregação indiscreta: Tipo notícias de traições, tentando trazer coisas da vida real, porém não apropriadas para a igreja. Ex: Vida de Davi, se fala 90% de Bate-Seba e 10% de Davi.
  • Pregação reportagem: Tipo jornal, trazendo as últimas notícias, e fica só em cima disso. É aquele que fala de tudo, menos da Bíblia. Parece uma compilação das notícias de maior impacto da semana. É uma palavra totalmente desprovida do poder do Espírito Santo e da beleza de Jesus Cristo. Notícias podem ser usadas esporadicamente para rápidas ilustrações, mas nunca como base de uma pregação.
  • Pregação marketing: Usado para promover e divulgar os projetos da igreja ou as atividades dos diversos departamentos, mas sem alimento para a igreja, só marketing.
  • Pregação metralhadora: Condena a igreja ou pessoas, e se esconde atrás do púlpito, pois não tem coragem de falar pessoalmente.

Segue abaixo 7 fatores importantes em uma pregação para atingir as pessoas:

    1. Contexto atual:
      • A exigência de hoje é maior que antigamente.
      • Você precisar fazer com que as pessoas se sintam curiosas sobre o que você está falando.
      • Muito cuidado. Nos dias de hoje as pessoas estão atualizadas. Elas podem já saber o que você vai falar.
      • As pessoas trocam de igreja igual trocam de canal da TV. As opções são tantas que se elas não gostam elas simplesmente trocam de igreja, como um click no controle remoto.
    2. Conhecer o ouvinte:
      • O ouvinte é exigente e não paga nada.
      • O tempo é pouco nos dias de hoje, ele não quer se sentir que está perdendo tempo ouvindo a palavra.
      • O ouvinte é extrovertido ou introvertido, racional ou sentimental, julgador ou observador.
      • Segue a classificação dos temperamentos do ser humano:
        • Sanguíneo: Comunicativo, alegre, falante, animado, carismático, extrovertido, instável, inseguro, explosivo, exagerado, altamente emotivo.
        • Colérico: ativo, prático, decidido, produtivo, rápido, corajoso, controla- dor, competitivo, impaciente, agressivo, intolerante.
        • Fleumático: calmo, tranquilo, pacífico, diplomático, paciente, gentil, introvertido, frio, calculista, indeciso, passivo, desmotivado.
        • Melancólico: Intelectual, organizado, sensível, leal, perfeccionista, inseguro, vingativo, altamente sentimental.
      • Existem diferentes tipos de pessoas. Uns gostam de pregações intelectuais, outros de emocionais ou sentimentais, e já outros com consequências práticas. Você precisa falar para todos eles na mesma pregação.
    3. Comunicação clara
      • Não fale daquilo que não tenhas domínio.
      • Jesus falava só na linguagem do povo (Lírios do campo, mostarda, sementes, ovelha, etc).
      • A Pregação pode ser a melhor, mas se não for clara e transparente, a pregação não vai ser relevante para as pessoas.
      • A maioria espera uma comunicação mais visual, visto a era da tecnologia, televisão, e games.
      • Os jovens de hoje se identificam com o visual do lugar, seja com as roupas do pregador ou com a decoração do ambiente. Não esteja fora do contexto visual dos ouvintes e do lugar onde está pregando.
      • Lembre: o mais importante é o que as pessoas irão entender na sua pregação, e não o que você quis falar. São idades diferentes, pessoas com culturas diferentes, diferenças sociais, homens, mulheres e crianças, inclusive público cristão e não cristão.
    4. Introdução criativa
      • As primeiras palavras irão dar o sucesso da pregação.
      • Breve, não olhe ao papel na introdução.
      • Use ilustrações que chamem a atenção.
      • Fazer perguntas sem precisar esperar respostas.
      • Falar sobre o momento (feriado, guerras, notícias de impacto).
      • O que evitar na introdução:
        • Nunca peça desculpas (convite foi em cima da hora).
        • Nunca tome posição sobre temas polêmicos (política).
        • Falsa humildade, hipocrisia (sou o menos preparado que está aqui, mas obrigado pelo convite).
        • Uso de jargões populares (não tenho palavras para expressar a emoção deste momento).
    5. Estrutura unificada
      • Fazendo com que a pregação seja um bloco sólido.
      • Partes da Pregação: Introdução, corpo e conclusão.
      • Fatores:
        • Ter uma idéia central única.
        • Unidade absoluta, porém com divisões (3 em média).
        • Progredir conforme o decorrer da palavra.
      • Tipos de Pregação:
        • Temática (Se escolhe um tema principal e a partir dele se vai atrás das passagens bíblicas) .

As quatro ressurreições por Jesus

          • a) Após a morte – Mc 5:21-23 ;35-43.
          • b) Após 24hs – Lc 7:11-17.
          • c) Após 4 dias – Jo 11;17; 38-45.
          • d) Após séculos – Jo 5:28-29; Ap. 20: 6.
        • Expositiva (Surge de uma passagem bíblica, e desta se escolhe de 3 a 4 versículos extraidos do texto).

A importância do cristão: Mt 5:13-16

          • a) Vós sois o sal da terra – v.13.
          • b) Vós sois a luz do mundo – v.14.
          • c) Brilhe a vossa luz em obras – v.16.
        • Textual (Surge de uma passagem bíblica, e deste se escolhe cerca de 3 tópicos ).

O que Deus espera do cristão: Mq 6:8

        • a) Que pratique a justiça.
        • b) Que ame a fidelidade.
        • c) Que ande humildemente com o Senhor.
  1. Ilustrações realistas
    • Toda Pregação deve ter pelo menos uma ilustração.
    • De exemplos que as pessoas já possam ter vivido.
    • Não de exemplos que não são relevantes ao público ouvinte.
    • A mente retém 90% do que vê e 10% do que ouve.
    • Dicas de fontes para ser usado como ilustrações nas pregações:
      • Bíblia.
      • Observação pessoal (fatos que acontecem na rua).
      • Natureza.
      • Experiências de outros.
      • Entrevistas.
      • Uso de histórias (todos gostam de ouvir histórias).
      • Vídeos.
      • Experiência Pessoal. Porém, nunca seja o herói, melhor ser o vilão e mostrar como contornou, mostrando que você já passou o mesmo que outros irmão já passaram.
  2. Conclusão
    • Se divide em: Resumo, Aplicação e Apelo.
    • Resumo
      • Não repita a pregação no resumo.
      • Não fale do que você não falou, sem novidades.
    • Aplicação
      • Qual é o propósito da sua mensagem.
      • Identifique uma necessidade dos seus ouvintes.
    • Apelo
      • Curto e direto, desafiando o ouvinte.
      • Existem vários tipos:
        • Deixando o agir do Espírito Santo.
        • Chame para mudanças de atitude.
        • Desafie, mesmo estando eles sentados.
      • Após o apelo acabou, simplesmente saia do púlpito.
    • O culto deveria terminar com o apelo, sem avisos e nenhuma palavra a mais, apenas a oração final do apelo e benção.

Então, vai pregar? NUNCA se esqueça do principal: Precisamos agir na INTIMIDADE COM O ESPÍRITO SANTO, pois somos apenas o meio entre o Senhor e as pessoas. Invista horas orando e estudando a Bíblia antes de pregá-la, estudando os recursos da comunicação que vão ajudar a mensagem chegar ao coração das pessoas.
Que Deus lhe abençoe.