Chamado na dependência de Deus

  • Quando e como decidiram ser missionários?
    • O chamado já é antigo, pois a muitos anos já estamos envolvidos com ministérios de missões, sendo trabalhos temporários em campo missionário ou na retaguarda levantando recursos financeiros para missionários. Porém em Julho de 2011 foi que o chamado tomou corpo e foi se confirmando até chegar em Dezembro de 2011, onde tomamos a decisão definitiva de levar o amor de Jesus para os povos não alcançados do continente africano.
  • E por que a África?
    • Pois foi onde o nosso coração sempre bateu mais forte. Deus colocou em nós um amor pelo povo africano, sem nunca te-los conhecido, além de estarmos envolvidos com missionários deste continente a muito tempo.
  • Como está sendo o processo de preparação para o campo? Quais são os principais desafios neste período?
    • São muitos os detalhes, visto que a mudança é definitiva e junto das crianças. São documentações, despedidas, e vários detalhes para que isso seja realizado. Os principais desafios são que agora dependemos do Senhor financeiramente. Outro ponto é a distancia da família, pois somos muito ligados, mas o melhor de tudo é que mais vale uma família unida do que junta. Existem muitas famílias que estão juntas mas não são unidas. Nós mesmos longe estamos unidos, pois a família nos dá todo o apoio.
  • Qual país é a missão de vocês? Como está esse país agora?
    • O pais inicial é a África do Sul. Lá iremos realizar a primeira etapa da mudança transcultural, que é muito difícil (carros andando na esquerda, comidas diferentes, segurança, moeda, língua, etc), também iremos ajudar o escritório da agência missionária que seremos enviados, estudar o inglês (Fran, Peter e Raica) e concluir o curso de teologia.
  • Quais serão os objetivos específicos da missão da família na África?
    • Através do nosso testemunho de vida, levar o amor de Jesus para o povo africano, servindo utilizando os talentos que o Senhor nos deu. No inicio será à África do Sul, posteriormente será o Kenya.
  • Vocês têm dois filhos pequenos, como esperam que seja a adaptação deles no continente?
    • Pode parecer estranho, porém através de vários testemunhos, cremos que a adaptação será excelente, pois eles são novos e rapidamente irão aprender a língua e costumes. O único detalhe será a família, pois teremos que dar muito mais atenção para eles do que já dávamos, porém temos certeza que o Senhor irá suprir tudo.
  • Como será a comunicação de vocês?
    • Em casa será totalmente em português, pois eles precisam manter o idioma brasileiro. Porém, sempre que estivermos fora de casa, precisaremos somente falar inglês, pois eles precisam saber que o inglês será a língua de comunicação deles fora de casa, assim como na escola.
  • E a educação regular das crianças?
    • Iremos coloca-los em uma escola assim que tivermos tranquilidade que eles irão saber as mínimas palavras em inglês, pois será o básico para eles ficarem sozinhos na escola. Em casa, iremos dar aulas para eles de Português, Geografia e História.
  • O que diriam para aqueles que desejam ser missionários transculturais, mas estão sem coragem de ir?
    • O principal de tudo é o chamado. Você precisar ter certeza que o Senhor lhe chamou para um campo transcultural, pois você precisa reconstruir todos os conceitos de vida que você já teve, pois você será 100% dependente do Senhor e será guiado pelo Espirito Santo. Por isso intimidade com o Senhor é tudo. Eu diria que não precisa ter coragem, e sim chamado. A coragem passa e você pode voltar, pois dependendo do que está lhe chamando (aventuras, passeios, fuga dos problemas na família ou financeiros). O chamado de Deus é único, pois ele faz você deixar tudo que você tinha para trás (dinheiro, estabilidade financeira no trabalho, distancia da família e igreja, seu país). Você irá abrir mão da sua vida e seus bens para viver para Cristo.
  • Pretendem voltar ao Brasil futuramente?
    • Apenas iremos voltar de 2 em 2 anos para visitar os parentes, amigos e nossos parceiros do ministério (pessoas que ajudam em oração e financeiramente). Nosso chamado é aqui na África e é aqui que o Senhor nos quer para vivermos e falarmos do amor de Jesus para aqueles que ainda não o conhecem.
  • Vocês pretendem levar a cultura que estão costumados a viver ou se adequar à nova cultura que os espera? Por que?
    • Nós precisamos nos adaptar a cultura onde estivermos, pois será assim que iremos estar mais próximos do povo, e eles terão mais facilidade para falar dos seus problemas e das suas necessidades, assim como o idioma, precisamos se adaptar ao idioma local onde estivermos.
  • O que é necessário para ser missionário?
    • Creio que os pontos mais importantes são:
      • Ser filho de Deus: Você precisa ter certeza que conhece ao Senhor Jesus e ter intimidade com o Espirito Santo, pois as lutas são grandes. Se o Senhor não estiver com você o tempo todo, você poderá ter problemas, pois estará sozinho, um estranho no meio de estranhos.
      • Ter o chamado do Senhor: Missionário que vai por emoção, ou aventura, ou fuga de problemas pessoais logo irá voltar, pois é algo pessoal sem estar no centro da vontade de Deus. O chamado é dele e não nosso.
      • Suporte: Ter uma agência missionária que irá lhe apoiar em TODOS os detalhes necessários, desde as etapas antes da saída de seu pais, até os projetos no campo final e possíveis problemas que podem ocorrer.
      • Sustento de Oração e Financeiro: Ter uma igreja que irá lhe sustentar em oração e financeiramente, sendo que tanto as orações como financeiramente podem vir através dos membros da sua igreja ou ainda de outras igrejas.
  • Como alguém pode ajudar no ministério de vocês?
    • Nós criamos um blog nosso que é dedicado, onde compartilhamos tudo sobre nosso ministério em que estamos na estrada pelo Senhor Jesus. Nele você poderá acessar nossas cartas missionárias, fotos, artigos e vários outras matérias que poderão ajudar você em algum problema em que podes estar passando. Lá também, caso queira, você poderá nos ajudar financeiramente ou ser um parceiro nosso de oração. O blog é: www.naestrada.org.