“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim.”

“Gl 2:20”

Jaraguá do Sul – SC / Brasil

Desde dezembro de 2018, quando chegamos do Quênia no Brasil, estamos tendo um tempo de descanso com a família, e revendo amigos e igrejas parceiras, pois já faziam dois anos desde a nossa última vinda para o Brasil. Também temos cuidado da nossa saúde e somos gratos a Deus por tudo e todos que tem nos abençoado nesse tempo.

Do mês de janeiro a junho de 2019, iremos estar em um tempo de visita as igrejas. Estaremos compartilhando dos trabalhos que temos desenvolvido ao longo dos anos na África / Quênia e também mobilizando novos parceiros.

Saúde do Gustavo

Na terça-feira do dia 26 de fevereiro, começou uma dor muito forte na minha barriga, na região do estômago e fígado. Na Sexta, dia 1 de março, eu fui no Hospital para ver o que seria, achando que era uma gastrite ou alguma coisa do gênero. Depois de alguns exames de Ultrassom e Tomografia, foi constatado uma PVT (Trombose na veia Porta), além das veias Mesentérica Superior e Via Esplênica. Essas veias permitem que o sangue flua dos intestinos para o fígado e demais órgãos da região. Esse PVT poderia ter sido fatal. Tanto é, que no de hospital que estava fui transferido para outro hospital, direto para a internação.

Lá fiquei esperando um milagre, pois a primeira coisa que o Dr. falou para nós foi: “Seu caso é muito raro, e você pode morrer a qualquer momento”. Tomei medicação para afinar o sangue e para os trombos não aumentarem.

Foi aí que o milagre veio. Pelo que entendemos, os médicos não estavam entendo muito bem o meu quadro, pois normalmente as pessoas com PVT possuem muitas dores abdominais (que eu tinha), diarreia, vômitos e diversos outros sintomas. No meu caso, assim que fui internado, comecei a ficar melhor das dores, sendo que no domingo 4 de março já estava bem melhor. O que aconteceu foi que várias veias do meu corpo foram “convocadas” a trabalhar mais do que o planejado, para assim estarem levando sangue para os órgãos que não estavam recebemos nada, visto a trombose. Por exemplo, até a veia do umbigo (que somente é utilizada na gestação) agora está sendo utilizada pelo meu corpo. O Senhor fez um milagre redirecionando o fluxo sanguíneo no meu corpo.

Dessa forma, foi feito um Tomografia no dia 6 de março que mostrou que não houve aumento dos trombos, o que levou aos médicos a me darem alta no dia 07 de março.

No dia 8 de março já fomos procurar um médico especialista em Joinville (maior cidade do estado de SC) onde nos instruiu para realizar o tratamento anticoagulante do sangue (que irá deixar o sangue fino). Dessa forma, esperaremos que até junho, onde será feita outra Tomografia para ver se as tromboses já tenham:

  1. Desentupidas totalmente;
  2. Iniciado o processo de desentupimento;
  3. Nada mudou. Ainda estou com as tromboses.

As chances são de 33% para cada opção. Por isso, ainda continuamos a contar com as suas orações, pois esperamos que até julho, data planejada para voltarmos ao Quênia, as tromboses já não estão lá entupindo as veias.

Já começamos a investigação em relação à origem das tromboses, o que deverá levar algumas semanas.

Obrigado por tudo que cada um de vocês estão fazendo, pois nos sentimos muito amados por todos vocês que estão juntos conosco de alguma forma. 

Segue abaixo um vídeo do Ministério da Mama Regina que é cada dela aos Sábados, onde eles estão falando que estão orando por nós.

Pregando / Testemunhando

Segue abaixo algumas fotos em que estivemos trazendo uma palavra sobre missões e testemunhado aquilo que temos vivido na África-Quênia,

Projeto Mwangani – Nairóbi / Kibera

Mesmo que estamos no Brasil, a Mama Regina ainda continua a pregar a palavra do Senhor no projeto Mwangani Kibera e as vezes em Kijabe. Isso nos deixa muito alegres, sabendo que os trabalhos continuam e a obra está sendo feita com muito amor e fidelidade, que aquilo que temos semeado tem dado frutos.

Projeto Mwangani – Kijabe

Mesmo que estamos no Brasil, o projeto Mwangani Kijabe também continua, e está sendo executado por algumas professoras da escola. As vezes, a mama Regina os visita.

Gostou do nosso ministério?

Como família, agradecemos a todos que estão orando por nós e os mantenedores fiéis que nos apoiam financeiramente.
Desejamos a todos vocês que o Pai os recompense com muita graça e amor.

Família HELLWIG, seus missionários na África

Iniciar a Conversa

Clique na foto abaixo para iniciar a conversa

Franciele Hellwig

Franciele Hellwig

online

Gustavo Hellwig

Gustavo Hellwig

online