Olá Amados do Senhor.
Segue um resumo de outro livro que lemos e que será de uma grande importância no nosso ministério para quando estivermos no campo missionário no continente africano, chamado “Vida, Ministério e desafios no campo missionário” do autor Jairo de Oliveira.
Essa leitura novamente mostra a realidade do missionário quando ele está no campo, assim como alguns pontos importantes que precisamos estar preparados antes de começar os trabalhos no local onde iremos servir.
Após a leitura do livro, anotamos algumas questões que consideramos importantes para nós.
Segue abaixo:

  • Segue abaixo um exemplo de comportamento em que um Missionário se depara no ministério:
    • Entre os Massai no Quênia, cuspir na face de alguém pode significar benção. Se você conseguir ser amigo de algum Massai, você poderá receber umas boas cuspidas no rosto para que realmente fique comprovado que você faz parte da família dele.
  • O Lugar onde serviremos será apenas um lugar se ele não for a nossa casa. Porém se tornará a nossa casa ao desenvolvermos profundidades nos relacionamentos, até por que a nossa casa é o lugar onde estão nossa família e amigos.
  • Para facilitar o relacionamento com o povo, quanto mais parecido com ele, maior a proximidade. Você só será ouvido por eles a partir do momento em que falar sua língua em conversar, gestos, tonalidade, ordem, imagem, atitude, ideia.
    • Por este motivo o uso das roupas locais é tão importante, assim como a decoração da casa como a casa deles.
    • Quanto mais rápido o missionário (família) aprender a língua local, mais rápido também irá superar o choque linguístico e cultural.
    • A Vida terá outra dinâmica quando se puder conversar com amigos e vizinhos.
  • O Sustento dos missionários sempre é um fator que não é dado importância, fazendo com que muitos missionários passem situações desconfortáveis no campo, parecendo que ele não mereça o seu salário, como o contrário fala a palavra em 1Tm 5:18 “…O trabalhador merece o seu salário”
    • Essa falta de sustento tem tornado o campo missionário uma arena de fé, e em alguns casos um terreno de sobrevivência para o missionário brasileiro.
  • Os Missionários possuem uma difícil tarefa de aprender e se adaptar aos costumes locais onde estão servindo. Porém, possuem a difícil tarefa de dizer não, para não serem rejeitados por aquela cultura.
    • Um testemunho de uma missionária fala que em certo dia ela viu que estavam roubando roupas do varal dela. Neste momento ela perguntou o que estava acontecendo. Ai os locais falaram. Você possui mais de 5 peças iguais, por isso que estamos pegando algumas, pois nós não temos. Estariam os locais errados?
    • Outro testemunhos de outros missionários que ao chegarem na aldeia tiveram que negar o presente que lhes foram dados. As mães da aldeia pela alegria da visita e chegada dos missionários enviaram as suas filhas mais novas para dormirem com os missionários. Eles falaram com a liderança da comunidade local e falaram do fato. Temos que cuidar para a nossa integridade não seja denegrida, mesmo que a cultura é diferente, pois os costumes de uma cultura são a maioria das vezes mais fortes que a fé deles.
  • A Palavra de Deus deve ser contextualizada para o local onde se está pregando, para o mais fácil entendimento do povo local.
  • Muitas vezes um missionário volta do campo e ficam culpando-o do motivo da volta.
    • A volta antecipada de muitos missionários podem ter vários fatores, como:
      • Falta de um corpo de oração por este ministério.
      • Falta de um objetivo definido pelo missionário
      • Falta de sustento.
      • Falta de pastoreio. (O Missionário está no campo, mas continua sendo uma ovelha, que precisa se cuidada e vigiada como qualquer outra ovelha).
    • Você está contribuindo, da forma que forma para o sucesso de algum missionário? Ajude em oração, entre em contato com ele, veja o que ele está precisando, suas áreas difíceis no ministério, suas dificuldades financeiras, etc. O ministério dele se você não existe. O missionário não é um membro, mas sim um corpo formado por vários membros (Família, Amigos, Mantenedores de Oração, Mantenedores Financeiros, etc.). Se um deles estiver com problemas, todo o corpo sofre, e assim seus frutos e resultados.
    • O Próprio Jesus precisava de retaguarda do desenvolvimento de seu ministério. Mesmo ele não precisando se quisesse, ela sabia que isso fazia parte do processo.
      • Oração: Disse-lhes então: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal. Fiquem aqui e vigiem comigo” Mt 26:38.
      • Financeiro: “Joana, mulher de Cuza, administrador da casa de Herodes; Susana e muitas outras. Essas mulheres ajudavam a sustentá-los com os seus bens.” Lc 8:3
    • A Escritora Antonio Leonora Van der Meer escreveu no artigo intitulado “Missionário: Um maluco, mártir, mendigo ou o quê?” que a Igreja deve saber que é melhor sustentar alguns com um propósito integral de intercessão e cuidado pastoral do que dar esmolas a muitos.
      • Exemplo: Certo missionário precisou de mais de 100 Mantenedores financeiros para poder completar seu sustento para seu ministério na África.
      • Um artigo intitulado “Envio Responsável” diz: “Chega de cartas enviadas aos campos informando que o sustento está sendo cortado. Chega de e-mails informando que por a igreja ter uma nova concepção e definição de campo, o dileto missionário não poderá mais contar com ela. Chega daqueles longos e intermináveis meses sem nenhuma linha sequer por parte da igreja, dando ao menos um olá, como vai’. Chega daquela antiga e redundante pergunta quantas almas já se converteram? como se um ministério pudesse ser medido apenas por isso. Chega de tanto desserviço. Chega! Vamos libertar nosso missionário, vamos soltá-lo, vamos mandá-lo embora (na graça de Deus) e enquanto ele “lá” estiver que a igreja fique aqui, de prontidão ante o falar de Deus, sobre o como sequenciar essa despedida”.
  • Diferenças nas concepções do que é um missionário:
    • Brasil: O Missionário é um servo que possui uma vida muito sofrida, vivendo do resto da vida dos outros, não merecendo uma vida plausível como os demais.
    • EUA: O Missionário é um nobre cordeiro, que merece uma vida boa no campo, para amenizar os outros tipos de limitações e sofrimentos que a carreira missionária possui, pois abriu mão de tudo para servir em outras terras.
  • Algumas visões criadas pela Igreja do que é um missionário:
    • Missionários são super-heróis, pois para ele ter desistido da vida para ir para uma terra distante que ninguém tem coragem de por os pés só pode ser um herói.
      • Por ser um super-herói não pode errar nunca
      • Preparado para resolver todos os problemas a toda a hora.
      • Você já imaginou um missionário com raiva? Não, imagina… Missionário é um ser perfeito que não erra nunca. Ele é preparado para suportar todo tipo de conflito e pressão, sempre mantendo sua fé em um nível imbatível. Um super-herói da fé.
      • Outros veem os Missionários como uma classe inferior do Reino de Deus, como coitadinhos. “Que pena, por ele não ter futuro na vida ele se tornou um missionário. Sendo assim ele não teve outra chance senão seguir para o sofrido e indesejado campo missionário.” Gente que por loucura ou falta de habilidade se submeteu ao chamado de Deus e se tornou funcionário da Igreja.
      • Missionário é um pedinte que vive atrás de ofertas para sobreviver e sustentar sua família. Um missionário é digno de tratar com doações tipo “O novo é nosso e o velho nós vamos dar para o missionário, afinal, ele é missionário”.
      • Muitos pais cristãos não querem que seus filhos sejam missionários. Para muitos, vida missionária é sinônimo de punição, sofrimento ou sacrifício que não se deseja para aqueles a quem, por amor, investiram a vida.
    • O Missionário é um apostolo um enviado. Ao invés de vitima, ele é bem aventurado, ao invés de super-homem um nobre soldado, um embaixador.
      • Portanto, somos embaixadores de Cristo, como se Deus estivesse fazendo o seu apelo por nosso intermédio. Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus. 2 Co 5:20
      • Ele não é qualquer um que a igreja envia, mas sim um que a Igreja respeita e confia no seu carácter, sua espiritualidade e no seu ministério.
      • É um ser humano normal, com desejos, sonhos, vontades, emoções. Por não ser um super-herói, ele adoece, fica fraco, se aposenta e morre. Ele também tem família, filhos, netos.
      • É um ser humano que abriu mão de muitos confortos, segurança e relacionamentos para obedecer ao chamado do Senhor amando um povo distante.